Vacinas que a grávida precisa tomar


Passar boa parte do dia sonhando como vai ser a vida após a chegada do bebê tão esperado é um dos passatempos preferidos das grávidas, não é mesmo? Mas é preciso colocar um pouco os pés no chão e tomar uma série de cuidados com a saúde para garantir uma gestação tranquila e sem sustos. É aí que entra a importância da vacinação. A ginecologista e obstetra Vera Ferraro, que trouxe meus dois filhos ao mundo, afirma que, além de proteger a mãe, o esquema de imunização das gestantes beneficia o bebê ainda no útero.

Três vacinas são essenciais neste período: tríplice bacteriana, influenza e Hepatite B. Outras vacinas que geralmente são contraindicadas às grávidas, poderão ser recomendadas pelo obstetra, apenas em situações em que o risco da doença supere o risco da vacina. Mas esse é um assunto para outra postagem!

1)      Vacina contra difteria, tétano e coqueluche (tríplice bacteriana ou dTpa)

Mesmo que a gestante esteja com o esquema de vacinação contra o tétano em dia, mas que tenha recebido a última dose há mais de cinco anos, é recomendável uma dose dTpa.

Além do tétano e da difteria, o aumento recente dos casos de coqueluche no país preocupa os médicos e autoridades de saúde. Por isso a importância de se proteger.

A vacina dTpa deve ser aplicada entre a 27ª e 36ª semanas. Disponível na rede pública de saúde.

2)      Vacina contra a gripe

A vacina Influenza é essencial na gestação. Ela protege da gripe, bronquite e até pneumonia e deve ser tomada em dose única, em qualquer mês da gravidez ou até 45 dias após o nascimento do bebê. Disponível para gestantes nos postos de saúde no período da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe (informações no Disque Saúde/SUS – telefone 136).

Dose anual e aplicada em campanha ate o final de abril

3)      Vacina contra a Hepatite B

A vacina contra a hepatite B (doença que causa irritação e inflamação do fígado) é indicada às gestantes e deve ser administrada em três doses (a partir do segundo trimestre  da gestação). Disponível na rede pública de saúde. Se a grávida já foi vacinada, não necessita de reforço na gestação.

A mãezinha da foto é a minha amiga Carla Coutinho, mãe do Dom, hoje com 7 meses. Crédito: Leonardo Candido Fotografia

 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Preencha todos os campos marcados *