A importância do aleitamento materno


Flávia Da Silva Santos *

O leite materno é o alimento ideal para a criança, devendo ser oferecido exclusivamente (sem nenhum outro tipo de leite ou alimento) até os 6 meses de vida. Após essa idade, a mãe deve manter o aleitamento materno, mas complementá-lo com a introdução gradativa de outros alimentos e água.

A importância do aleitamento materno para o crescimento e desenvolvimento da criança se deve a sua composição nutricional. O leite humano possui nutrientes que são importantes para a criança crescer, ganhar peso e desenvolver a inteligência. Torna-se assim insubstituível, pois nenhum outro leite possui em sua composição nutricional os ingredientes do leite produzido pela própria mãe.

A proteína do leite materno é facilmente digerida pelo organismo ainda imaturo da criança. Isso diminui os riscos do desenvolvimento de alergias alimentares. As proteínas do leite da vaca e da soja são altamente alergênicas.

A parte gordurosa do leite humano é composta por gorduras importantes para o desenvolvimento cerebral e visual da criança, o ácido graxo ômega 3 DHA. Estudos têm mostrado que crianças amamentadas com leite materno até 2 anos ou mais são mais inteligentes.

Muitos minerais (cálcio, magnésio, sódio, potássio) estão presentes no leite materno em quantidades adequadas para o organismo, ainda em formação, da criança que mama (lactente), o que não sobrecarrega seus órgãos durante o processo de utilização (metabolização) destes nutrientes. Outros minerais (ferro, zinco e cobre) são melhores absorvidos quando presentes no leite materno, quando comparados àqueles presentes no leite de vaca.

A composição de alguns nutrientes no leite humano depende do consumo alimentar da mãe, ou seja, o nutriente estará presente no leite se a mãe consumir suas fontes alimentares. Dentre estes temos as vitaminas do complexo B (B1, B2, B3, B6, B12); as vitaminas lipossolúveis K e A e os ácidos graxos ômega 3 (DHA). Desta forma não podem faltar na alimentação da mulher que amamenta (nutriz) legumes, verduras, frutas, leites e seus derivados (queijos, iogurtes, etc.), carnes vermelhas magras (patinho, mignon), ovos, cereais integrais (macarrão, arroz, aveia, etc.) e peixes como sardinha e salmão.

O banho de sol é importante nesta fase, pois, o leite humano não contem quantidades suficientes de vitamina D. O tempo e o horário devem ser recomendados pelo pediatra de seu filho, preferindo é claro os horários de menor intensidade de liberação dos raios solares (antes das 9h e após as 16h).

É importante ressaltar que além dos nutrientes citados anteriormente o leite humano também fornece substâncias imunológicas que protege o bebê de doenças, fornece calorias suficientes para ganho de peso e crescimento adequados nos primeiros 6 meses de vida e mantém um vínculo de afeto entre o binômio mãe e filho.

Para as mamães, colabora na perda de peso adquirido no período gestacional, além de ser muito higiênico (sai prontinho da mãe para o bebê) e econômico (custo apenas para a natureza).

Diante de tantas vantagens todo profissional de saúde recomenda o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses e complementado dos 6 meses até os 2 anos ou mais, conforme vontade da mãe e do bebê.

* Flávia da Silva, professora do curso de Nutrição do Centro Universitário Anhanguera de Niterói (UNIAN).

  • August 01, 2015